Arquivo

Arquivo por Autor

Anúncios
Categorias:Uncategorized

The clouds burst, to show daylight

30 Novembro, 2008 1 comentário

vivalacoldplaysignag11

Finalmente os fãs brasileiros de Coldplay podem contar com uma fonte de informações sobre a banda! No Viva La Coldplay encontram-se notícias sobre a turnê, dados  e curiosidades sobre a banda e cada um dos integrantes, wallpapers, o Projeto Postcards From Far Away, para citar apenas uma parcela do material. Não deixem de prestigiar o resultado de muito trabalho!

Long live the king
Categorias:Viva La Coldplay Etiquetas:

I can hear it coming

28 Novembro, 2008 Deixe um comentário

Like a serenade of sound
Now my feet won’t touch the ground

Won’t you take me where the street lights glow?
30/11/08

American Music Awards

24 Novembro, 2008 Deixe um comentário

Perfórmance de Lovers In Japan durante a premiação, que ocorreu no último domingo:

Além de apresentar-se, a banda concorria a quatro categorias (Artista do ano, Melhor banda de rock, Melhor álbum de pop/rock e Melhor banda de rock alternativo),  mas não levou nenhuma estatueta.

Confira mais comentários no fórum Viva La Coldplay.

Categorias:Uncategorized Etiquetas:

A wild wind blowing

23 Novembro, 2008 1 comentário

Chris Martin: o homem do ano
Número 1 em 36 países, criador de conceitos e sedutor incorrigível

Chris Martin

Como foi o ano de 2008 para você?
[Deixando a questão confusa já de antemão] Veja bem, o que estivemos fazendo foi tentar concluir esse EP, Prospekt’s March, então estamos exatamente do mesmo jeito desde a última vez em que conversamos.

Você quer dizer, morrendo de preocupação durante as poucas semanas que o separavam do topo dos rankings de 36 países?
Não é preocupação! É só centração! Estamos amaldiçoados pela ambição. Estamos visando o passo seguinte a todo instante, sabe? Tem uma versão de Lost! no EP, feita pelo Jay-Z [intitulada Lost+, em contraste com as outras três versões do single: Lost!, Lost? e Lost@]. Diga o que você gosta na banda; a gente pode até não fazer rock’n’roll, mas nos relacionamos com outras vertentes muito mais do que muita banda por aí.

Por favor, diga para a gente que vocês estão contentes por o álbum mais vendido do ano ser o de vocês.
Mas é claro que estamos! Totalmente. Não vamos ficar dando voltas. Aliás, não vamos dar volta alguma. Vamos direto ao cerne da questão: tem sido um ano fantástico. Mas quando alguma coisa boa aparece no nosso caminho, sempre tentamos validá-la fazendo algo ainda melhor. Esse é simplesmente o modo como procedemos e lidamos com a questão. Além do mais, o U2 esteve de férias o ano todo. Na verdade, escondemos o U2 bem escondido. Temos o empresário mais apocalíptico de todos os tempos. Amamos demais o Dave, mas ele não fica contente conosco até que tenhamos conquistado o universo conhecido. Não fomos número 1 no Alasca, mas só porque a Sarah Palin estava no caminho. Ela não vai muito com a nossa cara.

É só porque vocês são “revolucionários” demais.
Não, somos é gentis demais com as grandes multinacionais petrolíferas. Acho que ela é muito aprazível, mas não muito elegível. Essa é minha máxima.

Você acha a Sarah Palin atraente?
Adoraria levá-la para sair, mas eu não necessariamente creio que ela deva ser a mulher mais poderosa do mundo. Se ela estiver preparada, eu retiro o que disse, é claro. Não quero entrar em apuros! Mas, no estágio em que estamos, no momento dessa entrevista, é bom atentar para a chapa de Obama e Biden. Seria bom para todos.

Vocês não conheceram o Obama no aeroporto de Washington?
Apenas vimos o avião dele. Nosso avião aterrisou perto do dele. Nos cruzamos aí. Foi apenas um bate-bola inofensivo. Nada além disso. O avião dele era o Mudanças-já e no nosso havia apenas uns caras cheirando a estrada. No entanto, se ele for eleito enquanto temos essa conversa, a coisa muda de figura.

Quantas fantasias da Revolução Francesa vocês têm? Deve haver muitas, don contrário, eles devem estar num estado deplorável agora!
Em primeiro lugar, não são fantasias! São nossas roupas! É algo toalmente confortável que vestimos para fazer o nosso trabalho; não quero simplesmente usar calça jean e camiseta. Temos um monte de roupas e as escolhemos de acordo com o contexto. Somos o Sex And The City da música. [dá uma olhadela nos sapatos azul metálico da Q] Gosto dos seus sapatos. Eles são extremamente aprazíveis.

Muito obrigada. Você realmente sabe dizer a coisa certa a uma “dama”.
Eu entendo as mulheres, é claro. Sou um sedutor.

Na verdade, neste ano, as pessoas finalmente começaram a perceber que você é um sedutor incorrigível.
Bom, até certo ponto…

Você é um garanhão!
Eu não diria isso! É só o caso de passar 23h do dia ao lado de oito homens e ficar feliz por ver alguém de saia. E, quando você volta para casa, começa a ficar realmente, real… Entende?

Por um mês, o mundo ficou hipnotizado pelos sapatos de sua esposa [um salto de 20cm que Gwyneth Paltrow usou em uma cerimônia de lançamento]. O que você achou deles?
Aprovo os sapatos de todos os formatos e tamanhos. Você estava se referindo ao salto? Creio que a maioria das garotas gosta de pôr seus sapatos para fora do armário às vezes, certo? E, certamente, nós reparamos neles.

Quem foi o amigo mais incrível que você fez esse ano?
Albert Hammond Jr é bem incrível. Fizemos uma ótima turnê ao seu lado. Ele é o cara. Ele queria se relacionar com uma banda mais legal que o Strokes e nós dissemos: “Bom, talvez a gente seja essa banda”.

Por um momento, neste ano, você enlouqueçou e deu as costas para um monte de entrevistas. O que aconteceu?
Duas entrevistas! Bom, se eu não estou gostando de uma conversa, eu não vou ficar fazendo hora nela. Simples assim. Se pressinto que a entrevista está indo por um caminho tortuoso, às vezes, é melhor dar um tempo. Sempre volto dois minutos depois e peço desculpas. Não é grande coisa. Não é como colocar uma bomba na embaixada. Mas obrigado por tocar no assunto. Fui!

Scans e comentários: Viva La Coldplay
Agradecimentos: David Watts, Coldplaying.com.

Cold(?)play

22 Novembro, 2008 Deixe um comentário

Guy Berryman

Entrevista com Guy (3 de novembro):

Fazer parte do Coldplay, fazer parte de uma das maiores bandas do mundo, pode tornar-se acomodadiço. Acomodadiço demais, até.

Para o baixista Guy Berryman, no entanto, a excitação continua intacta. Mesmo após todos os massivos shows de larga escala, os grandes festivais, pisar no palco ainda dá um friozinho na barriga. Ou faz o sangue subir à cabeça, se você preferir.

“Não fico mais nervoso, mas ainda sinto aquela empolgação”, afirma ele. “Adoro aqueles segundos antes de entrarmos no palco, a ansiedade das luzes se apagando. Eu nunca me canso disso”.

O Coldplay está no meio de uma turnê mundial, divulgando “Viva La Vida Or Death And All His Friends”, o quarto álbum da banda britânica que fez fama por seu rock melancólico, embalado pelo piano. Em um ano de crise para a indústria fonográfica, o disco é um dos grandes destaques de todos os tempos, tendo conquistado o maior lançamento da história de Berryman, Chris Martin, Jonny Buckland e Will Champion: só nos Estados Unidos, o álbum vendeu 720.000 cópias na primeira semana, de acordo com Nielsen SoundScan – mais de 300.000 no primeiro dia.

Enquanto essas cifras continuando a crescer, a banda tem feito shows quase ininterruptamente desde junho, incluindo uma passagem pelos Estados Unidos.

“Temos quatro álbuns agora, então temos de encontrar um equilíbrio entre o novo disco e as músicas antigas que as pessoas querem ouvir”, Berryman afirma. “Tentamos tornar [o show] o mais dinâmico o possível, do começo ao fim. Levou um bom tempo para que atingíssemos uma forma ideal, boa parte da primeira turnê estadunidense. Os shows se organizam basicamente em torno das mesmas invariantes agora, porque estão funcionando”.

Uma equipe de peso trabalhou em um novo visual para o palco da perfórmance do Coldplay e mesmo trouxe o que Berryman descreve como “algumas coisinhas que o público nunca viu em outras apresentações antes”.

Para a banda, que completa dez anos de trabalho, a vida na estrada, hoje, não é nada de mais. Berryman disse que aprendeu a lidar com os rigores da turnê, abstendo-se das prodigalidades, em favor de hábitos saudáveis e exercícios diários. Correr de hotel para hotel, passar longos períodos em espaços… Ficar doente, assim, é muito fácil e “não é legal ficar de molho durante uma turnê, não dá”.

“Destruimos a nós mesmos algumas vezes porque não nos cuidávamos, indo a festas todas as noites, ficando acordado até tarde”, ele relata, relembrando-se de épocas remotas da banda. “De fato, estamos apenas – eu, em particular – tentando nos manter saudáveis. É essa coisa da idade: corpo são, mente sã. Teria rido de mim mesmo anos atrás, se me visse falando disso, mas é verdade”.

O Coldplay vai encerrar as atividades do ano com uma série de shows no Reino Unido, em dezembro. Após um mês de descanso, a banda irá reunir-se novamente para começar a selecionar material para um quinto álbum. “O plano, idealmente, é ter algo pronto até o fim de 2009”.

Essa seria uma notável reviravolta para uma banda conhecida pelos consideráveis intervalos entre-álbuns, que representam hiatos de três anos entre cada um dos álbuns anteriores da banda. E os fãs, no ínterim, têm um bom presente: [recentemente, foi lançado] “Prospekt’s March”, um EP de oitos faixas, entre as quais, músicas que não foram incluídas em “Viva”, além de uma nova versão de “Lost!”, remixada por Jay-Z.

O Coldplay foi enfático ao deixar claro que não se trata de faixas descartadas. Com efeito, segundo Berryman, muito desse material se enquadraria perfeitamente em “Viva”.

“Não queríamos que esse álbum fosse longo demais. Achamos isso do terceiro disco e não queríamos cometer o mesmo erro. Por outro lado, essas músicas eram boas demais para serem apenas b-sides. É uma espécie de complemento [amendment] ao ‘Viva La Vida’. Queríamos que as pessoas escutassem esse disco em separado e não martelá-lo na cabeça de ninguém”.

Fonte: BostonHerald.com | Foto: Famous old Painter
Categorias:Lost! (in translation) Etiquetas:

Don’t panic!

21 Novembro, 2008 Deixe um comentário

Não é hábito nosso traduzir a sessão Oráculo do Coldplay.com, mas, dadas as circunstâncias…

Novembro, 21 de 2008
Pergunta feita por Jared, Estados Unidos

Bom, basicamente, você já falou sobre isso, mas estão circulando vários boatos acerca do comentário do Chris de que a banda se separaria depois de 2009. A NME retirou a nota de seu site, mas os outros portais parecem ,manter-se firmes. Você tem realmente certeza de que ele estava fazendo uma piada? Seria, no mínimo, uma pena que o Coldplay acabasse agora, em seu auge.

R: Lembre-se de que, para a mídia, isso é digno de notícia. Qualquer coisa que possa fazer com que mais cópias do jornal sejam vendidas ou mais pessoas acessem um portal em função disso, ela fará. A mídia pode interpretá-lo literalmente, se quiser, mas não há um calendário com uma data de separação marcada!

Agradecimentos: Paulinha coldplay

Categorias:Coldplay.com